Especial: arroz integral

O coitado do arroz integral vive de lado nos pratos brasileiros, não é hábito na nossa terra e muita gente diz que não gosta sem nem provar. Eu prefiro ele ao branco, mas nunca fui fã do tradicional, isso ajuda. O integral é mais “crocante” e dá uma variedade de consistência perfeita para o paladar. Além disso, “a película tem uma maior concentração de fibras insolúveis que estimulam o sistema gastrointestinal. Além disso, contém grande quantidade de vitamina B1 que é praticamente ausente no arroz branco.”, afirmou o nutrólogo Maximo Asinelli, no portal Vila Mulher.  Segundo minhas informações/pesquisas/consultas, tem 3x mais fibra que o arroz branco!

arroz-integral

Foto: Vestindo Saúde

Para preparar é bem simples, coloca um tico de azeite, uma pitada de alho e cebola e põe para refogar, coloca água (2 xícaras para 1 de arroz), sal e alguma erva se quiser. Aí sim coloca o arroz, deixa lá 20 minutos pelo menos e se a água ressecar antes do tempo, coloca mais. Para deixar diferente e ainda mais nutritivo coloco algum legume no cozimento. Se for brócolis, coloque uns 3 minutos antes de desligar o fogo bem picadinho, se for cenoura – ralada – coloca uns 7 minutos antes.

IMG_7051

O meu com brócolis.

E é assim que tem sido meus almoços. Para incrementar mais ainda, pensei aqui (nunca usei, mas deve ficar bom): curry, molho pesto, alguma pimenta se gostar, manjericão, cogumelos e por aí vai. Resta usar a criatividade, menos se o acompanhamento for mais temperado, aí é melhor usar o básico mesmo, afinal apreciar sabores faz parte da refeição.

Almoço de domingo: salmão

Hoje ainda é segunda, mas você já pode pegar a receita e ir comprando os ingredientes para o fim de semana ou para um almoço com cara de domingo no meio da semana, tem coisa melhor? Adoro dias com tempo para comer em paz e de saborear tudo do prato, de preferência feito por mim ou nossa ajudante aqui em casa (ela já está super na pratica da comida com menos gordura). Bom, chega de bla bla bla e vamos ao lerê, no último domingo fui para cozinha aproveitar um pedaço de salmão que sobrou do sábado da outra semana.

Adoro salmão, apesar das diferenças entre os de cativeiro e o selvagem, e acho muito válido nas refeições de fim de semana e feriados. É um tema complexo, mas algumas pesquisas dizem que o peixe de cativeiro não tem como ter o ômega 3, por exemplo, porque a alimentação é por ração e o que fornece o nutriente são as algas de águas profundas e frias. No entanto, continuo comendo esse mesmo (Recife não tem o selvagem) e quando houver onde comprar o selvagem, claro,  procurarei o mesmo.

Polêmicas de lado, preparei o pedaço com molho pesto acompanhado de arroz integral e salada. Temperei o peixe com suco de meio limão, sal, alecrim e alho desidratado. O molho pesto não tem segredos nem porções, mas vamos tentar ajudar. Usei meio maço do manjericão, 1 dente de alho, alho desidratado e em torno de 3/4 de xícara de azeite, bate tudo no liquidificador até ficar homogêneo. Difícilll, né? haha Quem gostar, pode usar pinoli ou castanhas ou ainda um pouco de parmesão. Não usei o queijo porque não tinha aqui e não vale o de saquinho (o parmesão tem baixo índice de lactose, portanto consigo tolerar. Intolerantes severos não conseguem). Coloquei na forma tomates tradicionais, tomates tipo grape, cebola e azeite (bem pouco).

20131020_131105

Fica feio antes, mas garanto que depois é bom e bonito

Uns 30 minutos no forno e ficou delícia, não sobrou nem uma lasca. O arroz integral fiz do básico e a salada foi de alface, cebola e tomate grape. Ficou leve e saboroso, domingo não precisa ser gordo. 🙂

20131020_141027

Confesso que cozinhar no domingo dá uma certa preguiça e o serviço não é só preparar, né? Tem prato, sujeira e etc, meu namorado ajudou na limpeza, mas ainda assim toma tempo, né? No fim, vale a pena de vez em quando. Ah, o molho pesto pode ser preparado antes, é só guardar na geladeira em recipiente de vidro, dura uma semana. Se sobrar, usa como molho de massas, pasta em pães e afins. 😉